top of page

Contato com a imprensa:

gisele@midiahelp.com.br

JR inaugura ampliação de Central de Reciclagem com aumento de 20% na produção

Atualizado: 4 de mar.




A partir da segunda quinzena de abril desse ano, a Central de Reciclagem do Grupo JR Soluções, empresa de soluções em tecidos e matérias-primas que há mais de três décadas atende aos mercados calçadista e têxtil, com suas unidades em Birigui (SP) e Sapiranga (RS) e as marcas JClass e JR Dublagens, começa a operar com sua ampliação. De acordo com o coordenador do Laboratório, Qualidade e Sustentabilidade da JR, Gilmar Santos, a estimativa é aumentar em 20% a quantidade de material reciclado em 2023, passando das 85 toneladas mês, para 102 até dezembro, e para o final de 2024, atingir a casa dos 30% de incremento na produção de reciclados.

Conforme reportagem da Agência Brasil, o país recicla apenas 4% dos seus resíduos sólidos, enquanto que países como a Alemanha, o índice chega a 67%, conforme dados da International Solid Waste Association (ISWA). Chile, Argentina, África do Sul e Turquia atingem a média de 16% de reciclagem. A perda econômica é bem significativa para o Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), em levantamento feito em 2019, o país perdeu cerca de R$ 14 bilhões anualmente em resíduos que poderiam ter sidos reciclados e gerar receita e renda para as famílias que trabalham com essa atividade.

Por conta dessa preocupação com o meio ambiente, o grupo JR criou a Central de Reciclagem, que funciona desde 2012 em um prédio de 500 metros quadrados, localizado em Birigui (SP). Com a primeira ampliação, entregue em março desse ano, a nova estrutura passa a contar com um espaço de 1.500 metros quadrados e, até 2024, será ampliado para 2.500 metros quadrados. “A proposta com as ampliações é aumentar a produção e a lista de materiais recicláveis da Central de Reciclagem”, explica o coordenador.

Fechando o Ciclo

Hoje, a central recicla polietilenos, EVAS, TPU, PET e poliéster. Com a ampliação, passará a atender as demandas do projeto Fechando o Ciclo, lançado esse ano, exclusivamente, para o segmento calçadista brasileiro. Dois tecidos sustentáveis estão inclusos nesse projeto – o Lona Pet é produzido 100% com fios de poliéster reciclado de garrafas PET e o Ecofit é composto por 90% de poliéster reciclado de garrafas PET e 10% elastano. Os tecidos podem ser utilizados como cabedal de calçados e na fabricação de bolsas, acessórios e forração, trazendo características como resistência, maciez, conforto, antimicrobiano, alongamento nos dois sentidos e aspecto visual liso.

A JR estuda investir em máquinas de reciclagem que aumentem a lista de materiais permitidos hoje na Central de Reciclagem. Com o projeto Fechando o Ciclo, a empresa permitirá que clientes e toda a cadeia calçadista possa assumir a responsabilidade ambiental de recuperar um calçado por inteiro. “Desde 2012, estudávamos uma solução pois existia uma necessidade de acabar com os aterros e fechar o ciclo de um produto final. Por isso, nos comprometemos a fazer o certo e realmente oferecer uma solução viável e ecologicamente correta ao mercado com o Fechando o Ciclo”, argumenta Santos.

O nome do projeto é oriundo do processo de reciclagem de um sapato, que até hoje tinha como destino o aterro sanitário ou outros locais impróprios. Com a iniciativa, o grupo é um dos primeiros do mercado brasileiro a lançar a proposta de realmente ‘fechar o ciclo’ de logística reversa de um calçado 100% reciclável e reaproveitar o seu material para transformá-lo em um novo produto.

Logística reversa sustentável

Depois de fabricado com os componentes recicláveis e vendido, o produto quando tiver sido consumido deverá ser devolvido pelo cliente à loja, onde foi feita a compra. O lojista, por sua vez, enviará um determinado montante de produtos pós-consumidos para a fabricante. Essa encaminhará esses itens ‘usados’ para a JR, que reciclará esse material em sua Central de Reciclagem e os transformará em polímeros granulado, borra ou triturado. Com esses polímeros, as fabricantes poderão definir em que matéria-prima a JR Soluções poderá entregar, podendo retornar como palmilha, couraça ou contraforte, fechando o ciclo de um calçado e tornando seu processo ecologicamente correto e reduzindo impactos ambientais.

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page